Visitantes

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Trocando idéias: Meu amor cabe em 3 vidas

Minha filha fez esse achado passeando pelo youtube e por coincidência, hoje saiu uma matéria sobre a banda na folha de São Paulo. Dá para perceber a força da Internet
Faça uma visitinha no blog dela e assista o vídeo da banda. O grupo canta o AMOR lindamente.

Trocando idéias: Meu amor cabe em 3 vidas: "Pra começar o final de semana com alto astral publico no blog o clipe ' Oração ' da Banda Mais Bonita da Cidade, que está sendo republicada ..."

domingo, 15 de maio de 2011

A DIFÍCIL ARTE DE ADOLESCER

Lembro-me que na minha especialização em Psicopedagogia,
uma das professoras falava que era importante relembrar como foi nosso processo de aprendizagem, resgatar em nossa memória como tinha sido para cada um o aprender a ler e a escrever. Da mesma fo
rma, para entender melhor o adolescente, era também fundamental que resgatássemos como tinha sido a nossa adolescência, qual eram os nossos medos, nossos sonhos etc.

Naquela época eu trabalhava com a Educação Infantil e as séries iniciais do Ensino fundamental e meu filho estava às vésperas desta fase, estava adolescendo. Por coincidência em 2003, fui designada para trabalhar como Professora Orientadora de Informática Educativa e para minha surpresa ou melhor, meu maior medo, iria trabalhar com os alunos de 5ª a 8ª séries. O que foi desafiador e um período muito interessante, porque passei a fazer o
exercício que a professora de especialização havia sugerido. Passei a buscar na memória como tinha sido a minha adolescência, busquei leituras de especialistas que me dessem e
mbasamento para lidar melhor com a faixa etária com a qual estava trabalhando e, principalmente para acompanhar meu filho que passava por essa transição.

Hoje, lido melhor com os adolescente. Gosto da vivacidade que possuem e de observar a mudança constante de humor e tentar ajudá-los na medida do possível, contribuindo para que possam atingir a vida adulta de forma mais tranquila.

O legal é que minha filha está entrando nesta fase e, lá vou eu ver e viver isso de perto novamente.

Oh, quantas emoções!

Sugiro a leitura do artigo que transcrevo abaixo:

"Adolescência e Família - A difícil arte de adolescer"
A adolescência é uma fase evolutiva na vida do ser humano onde se busca uma nova forma de visão de si e do mundo; uma reedição de todo desenvolvimento infantil visando definir o caráter social, sexual, ideológico e vocacional.

Esse processo evolutivo ocorre dentro de um tempo individual e de forma pessoal em que o adolescente se vê envolvido com as manifestações de seus impulsos intuitivos exteriorizados através de suas condutas nem sempre aceitas como normais pela sociedade.
Podemos dizer que adolescência é sinônimo de crise, pois o adolescente, em busca de identidade adulta, passa para o período “turbulento” (variável segundo o seu ecossistema (sócio-familiar).

Segundo a teoria kleiniana, essa fase poderia ser definida como correspondente à positiva elaboração da posição depressiva.

A esta crise, provocada pela ampla e profunda desestruturação em todos os níveis da personalidade, segue-se um processo de reestruturação, passando por ocasiões nas formas de exprimir-se ao longo dos anos.
o eixo central dessa reestruturação é o processo de elaboração dos lutos gerados pelas três perdas fundamentais desse período evolutivo:

1. Perda do corpo infantil:

Nessa fase, o adolescente vive com muita ansiedade as transformações corporais ocorridas a partir da puberdade, as quais exigem dele uma reformulação de seus mundos interno e externo. Muitas vezes, as restrições familiares e sociais para co
ntrolar esses impulsos, ameaçam tanto o seu desenvolvimento que chega a causar retardo em seu crescimento e no aparecimento natural das funções sexuais próprias dessa fase.

2. Perda dos pais da infância:

Os pais, antes idealizados e supervalorizados, passam a ser alvo de críticas e questionamentos. Dessa forma, o adolescente busca figuras de identificação fora do âmbito familiar.

Nesta fase, se caracteriza a dependência/independência dos filhos em relação aos pais e vice-versa; é o momento em que o adolescente busca substituir muitos aspectos da sua identidade familiar por outra mais individual.

3. Perda da identidade e do papel sócio-familiar infantil:

Da relação de dependência natural do convívio da criança com os pais, segue-se uma confusão de papéis, pois o adolescente, não sendo mais criança e não sendo ainda um adulto, tem dificuldades em se definir nas diversas situações de sua cultura.

No caminho para a sua independência, sentindo-se ora inseguro, ora temeroso, busca o apoio do grupo, que tem importante função, pois facilita o distanciamento dos pais permitindo novas identificações.

Para atingir a fase adulta, o adolescente deverá fazer uma síntese de todas essas identificações desde a infância.
Essa perdas se elaboram realizando-se verdadeiros processos de luto, psicanaliticamente falando.

O adolescente exterioriza os seus conflitos e formas de elaboração de acordo com as suas possibilidades e as do seu meio, com as suas experiências psico-físicas, ocorrendo o que chamamos de “patologia normal da adolescência”.

Para se compreender e lidar com adolescentes é fundamental que se conheça essa aparente “patologia”, chamada “Síndrome da Adolescência Normal”, com as seguintes características:

1. busca de si mesmo e da identidade adulta
2. tendência grupal3. necessidade de intelectualizar e fantasiar
4. crises religiosas
5. deslocação temporal
6. evolução sexual
7. atitudes sociais reivindicatórias
8. contradições sucessivas em todas as manifestações de conduta
9. separação progressiva dos pais
10. constantes flutuações do humor e do estado de ânim
o

O desconhecimento das mudanças que ocorrem no processo adolescer
(1. atingir a adolescência; tornar-se adolescente. 2. Crescer; desenvolver-se. 3. Rejuvenescer, remoçar, juvenecer. (Novo Dicionário Básico da Língua Portuguesa – Folha/Aurélio), implicará em dificuldades na relação do adolescente com a família, professores e profissionais, gerando situações de conflito.

Observamos que os adolescentes assim como os seus familiares estão, na maioria das vezes, desinformados sobre as mudanças que ocorrem nesta fase, gerando, na maioria das vezes, conflitos na relação e dificuldades na convivência.
Cabe aos profissionais da área da Saúde preencher essas lacunas com informação, orientação e, sobretudo, acolhimento.


“Amadurecer é um ato complicado... Perceber a hora de mudar é ainda mais difícil, mas não tanto se encontramos uma certa figura capaz de abrir nossos olhos e mostrar que as possibilidades de vida são ilimitadas...”
(encontrado no diário de uma menina de 12 anos)

Autora: Alaide Degani de Cantone

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Você sabe usar bem o seu tempo?


Quantas vezes você diz: "Eu não tenho tempo"?

É comum usarmos essa frase, mas se observamos bem, veremos que não sabemos administrar tempo X atividades.

Vale pensar um pouco sobre as dicas que Roberto Shinyashiki indica e melhorar nossa produtividade:



1. Livre-se dos ladrões do tempo

O principal “ladrão de tempo” da atualidade é o computador conectado na internet: Chats, redes sociais, skype, messengers, curiosidades… Tudo isso tira sua atenção, sabota seu foco e dificulta a realização de tarefas. Desconecte-se da internet sempre que estiver envolvido em alguma tarefa específica. Reserve um tempo no seu dia para cuidar dos seus e-mails e relacionamentos, mas não permaneça 100% do tempo conectado.

2. Faça um download no seu cérebro

Uma das coisas que destrói a produtividade é ter excesso de tarefas e projetos ocupando seu cérebro ao mesmo tempo. A solução é fazer um “download”, ou seja, esvaziar seu cérebro e transferir tudo para uma lista, todas as noites. Dessa forma, essas preocupações “desocupam seu cérebro”, permitem que você descanse, sabendo que as coisas estão lá, seguras, e não serão esquecidas. Você vai dormir melhor e estar mais preparado para o dia seguinte.

3. Organize suas pendências

Ao acordar, organize a lista da noite anterior: estabeleça prioridades, distribua as tarefas e planeje o dia, sempre acompanhado da sua lista de pendências. Depois execute o que planejou, uma coisa de cada vez.

4. Crie rituais

Criar rituais faz com que você determine como será o seu dia. Os rituais devem ser praticados ao acordar e antes de dormir. Fazendo tudo na mesma ordem (por exemplo: alimentação, banho, alguma prática espiritual), você determina como será seu dia antes de começar a “batalha diária”.

5. Trabalhe em blocos de tempo

Quem faz tudo ao mesmo tempo não faz nada em tempo nenhum. Quando tiver algo para fazer, estabeleça o tempo (30 minutos, 40 minutos, 1 hora), desligue tudo e se concentre fazendo só essa única tarefa.

Avalie como você lida com o seu tempo e o quanto pode estar perdendo em produtividade, por não ter um método bom para trabalhar.

fonte: http://shinyashiki.uol.com.br/blog/index.php/2010/11/dicas-para-melhorar-a-sua-produtividade/


domingo, 20 de março de 2011

Jogos dos 100 erros de português


A língua portuguesa não é nada fácil. Tem sempre uma pegadinha que nos deixa dúvida na hora de escrever.
Um jogo interessante está disponível no site educar para crescer que nos ajuda a exercitar a escrita de forma bem lúdica.

Vale a pena jogar!